DESO e Ministério Público chegam a consenso e suspendem temporariamente taxa de esgoto em Canindé de São Francisco

 

Foto: Damião Feitosa | Site Jornal do Sertão 

Na manhã da última quinta-feira (11) aconteceu na Promotoria de Justiça do município de Canindé de São Francisco uma audiência com a presença do Promotor de Justiça Dr. Paulo José Francisco Alves Filho, o Presidente da Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO), Carlos Fernandes de Melo Neto, o diretor de operação e manutenção, Carlos Anderson Pedreira, a chefe da assessoria jurídica da DESO, Fabíola Mendes Medeiros, o prefeito do município, Weldo Mariano Souza, vereadores e representantes da comunidade, com o objetivo de tratar o procedimento administrativo instaurado em face da Companhia de Saneamento de Sergipe em virtude das constantes reclamações dos moradores em relação ao desabastecimento de água e cobrança indevida de taxa de esgoto implementada recentemente.

Depois de debatido os temas propostos, a DESO compromete-se junto ao Ministério Público e os presentes à:

- Suspensão da taxa de esgoto temporariamente pelo período de 120 (cento e vinte) dias e o usuário que já efetuou o pagamento será ressarcido com crédito na fatura do mês posterior;

- A DESO junto com o município reunirão forças para regularizar e formalizar contrato de programa que atualmente o licenciamento ambiental para esgotamento encontra-se vencido. Para regularizar o licenciamento o município precisa entregar o sistema de esgotamento público e a Estação de Tratamento de Esgoto, que foi construída através de convênio CODEVASF, MUNICÍPIO e DESO;

- Chegou ao conhecimento do Ministério Público que algumas localidades do município estão com grandes deficiências no abastecimento de água, a DESO comprometeu-se em fazer um levantamento e irá verificar quais são os pontos que têm ocorrido à suspensão no fornecimento, e irá, quinzenalmente, comunicar ao Ministério Público e ao município, quais as medidas estão sendo tomada para dirimir a falta de água nas localidades.

Ainda serão coletadas amostras de água com empresas especializadas distintas para verificar a qualidade que está sendo fornecida a população.

O Ministério Público, através do Promotor de Justiça Drº Paulo José Francisco Alves Filho, irá acompanhar todos os procedimentos.  

 

Por Damião Feitosa

Jornalista DRT-0005839/BA

Google Plus

1 comentários:

  1. Uma dúvida, para quem ainda não pagou o talão que veio a taxa de esgoto, como fica ?

    ResponderExcluir