Coronavírus: Comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar do Estado de Sergipe pede apoio da população para cumprimento de Decreto

Foto: Site Jornal do Sertão | Kevin Santana

O site Jornal do Sertão manteve contato com o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar do Estado de Sergipe, Tenente-Coronel Ianderson Coutinho Maia, que falou sobre o Decreto de nº 40.560 de 2020 do Governo do Estado de Sergipe, que dispõe sobre a decretação de situação de emergência na saúde pública do estado. O comandante pediu o apoio da população para o cumprimento do decreto, Acompanhe:

“Quem vos fala é o Tenente-Coronel Ianderson Coutinho Maia, comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar do Estado de Sergipe, venho transmitir a vocês uma mensagem de emergência que estamos vivendo em Canindé de São Francisco, em Sergipe e em todo o País. Através do Decreto 40.560 de 2020, que dispõe sobre a decretação de situação de emergência na saúde pública do Estado de Sergipe, o Governador do Estado tomou algumas medidas, que aqui venho passar, são informações importantes para o combate ao coronavírus: Locais que permanecerão abertos: Farmácias, Unidades de Saúde, Agências Bancárias, Supermercados, Postos de Combustível, Distribuidora de Água, Distribuidora de Gás, Distribuidora de Energia Elétrica, Clínicas Emergenciais, Veterinárias e Funerárias, Serviços de Telecomunicação, Imprensa, Segurança Privada e Coleta de Lixo. Locais que permanecerão fechados: Igrejas e Templos, Hotéis, Pousadas, Academias, Shop Center, Galerias, Boutiques, Clubes, Boates, Casa de Espetáculos, Salão de Beleza, Clínica de Estética, Clínica de Saúde Bucal e Odontológica, ressalvadas aquelas de atendimento de urgência e emergência, comércio em geral, escolas e faculdades, bares, restaurantes e lanchonetes especificadamente na modalidade de entrega à domicílio, esses funcionarão, só na modalidade de entrega a domicílio, conhecido como delivery. Na certeza de que podemos contar com a ajuda de toda a população de Canindé de São Francisco informamos que existem alguns crimes que podem ser praticados por quem descumprir a determinação de prevenção ao COVID-19, quais sejam, infração de medida sanitária preventiva capitulada no artigo 268 do Código Penal, é lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), e a pena máxima é de um ano, bem como o crime de perigo de contágio de moléstia grave, que daria prisão em flagrante, e a pena seria de reclusão de um a quatro anos. Nesse momento de dificuldades, solicitamos a todos os donos de bares, comerciantes, lojistas e empresários do município, que mantenham seus estabelecimentos fechados, para que o vírus não se propague e possamos vencer essa batalha, que não é só da Polícia Militar, da Secretaria de Saúde, da Secretaria de Segurança Pública, é de todos nós”, concluiu.


Por Damião Feitosa do Jornal do Sertão
Jornalista DRT 5839/BA




Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário